quinta-feira, 28 de agosto de 2014

1 ano da princesinha da minha vida

As duas últimas semanas foram bem intensas, principalmente por conta das comemorações pelo aniversário do primeiro ano da nossa linda princesinha!

Pois é, quem diria que aquela fanfarroninha que desembarcou por aqui numa manhã nublada de 18 agosto já completou o seu primeiro ano de uma vida muito bem vivida, e é por isso mesmo que mais do que nunca temos que aproveitar cada segundo porque como todos dizem (cobertos de razão!): passa MUITO rápido!

Lembro como se fosse ontem do medo fantasmagórico para dar os primeiros banhos, dos cuidados extremos com os preparativos para trocar as primeiras fraldas, da tensão total para tratar do cordão umbilical até ele cair, do susto e da correria desenfreada madrugada adentro para limpar os primeiros vômitos pela casa, daquela pequenina bebê que "sobrava" no berço mas que ficava quietinha te encarando com aqueles olhos bem abertos, e que agora já sai toda pimpona por aí, ora engatinhando ora andando se apoiando nas paredes, e cantando (na língua dela) alegremente pela casa.

Confesso que este primeiro ano foi extremamente cansativo, tanto por conta do incansável refluxo como, por tabela, das intermináveis noites mal dormidas (que continuam até hoje), mas principalmente porque o bebê só é pequeno no tamanho, mas a demanda é absolutamente gigantesca (minha esposa que o diga melhor do que eu); entretanto, de uma coisa estejam certos: nunca fui tão feliz em toda a minha vida!

E a lição mais importante que aprendi ao longo desta jornada, e que continuo aprendendo diariamente com a nossa princesinha, é que de fato a nossa vida muda da água para o vinho após o nascimento de um filho, mas o mais legal de tudo isso é que ela se torna MUITO melhor - e, como dizia aquele célebre comercial, isto não tem preço!

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Ser pai é PAIdecer no paraíso

Esse primeiro Dia dos Pais foi tão corrido e tão intenso que até tinha pensado em escrever algumas linhas por aqui, mas acabei sendo atropelado pela nossa formiguinha atômica - seja por conta das intermináveis aventuras e brincadeiras pela casa, seja por conta do "dia" só ter acabado efetivamente na segunda à noite, pois por conta de alguma irritação não identificada, a nossa pequena acordou de hora em hora de domingo para segunda, deixando-nos como verdadeiros zumbis!

Mas aprendi (como todos aprendem) logo nos primeiros dias como pai que a nossa vida vai passar a ser assim mesmo: uma verdadeira montanha russa de sensações, onde o amor sempre fala mais alto e supera qualquer dificuldade momentânea, e que cada noite mal-dormida (já foram muitas e ainda outras tantas virão!) simplesmente desaparece do mapa quando olhamos para a nossa baixinha e vemos aquele inconfundível sorriso (banguelinha) de alegria - e isso não tem preço! Sempre ouvi dizer que ser mãe era padecer no paraíso, e até então nunca tinha captado o espírito da coisa, hoje posso dizer que finalmente entendi o real significado desta expressão e faço apenas uma correção: ser pai também é PAIdecer no paraíso - e eu recomendo!!!

No mais, só me resta agradecer a Deus e à minha esposa todos os dias por esta verdadeira graça alcançada, tendo como compromisso continuar me esforçando ao máximo para estar ainda mais presente no desenvolvimento, nas brincadeiras e na educação dela, de forma a ajudá-la a se tornar um ser humano infinitamente melhor do que jamais consegui ser - até mesmo porque, no final das contas, é só isso mesmo que nos resta: a certeza de ter tentado fazer o melhor para educar e transmitir os valores (não financeiros), e ter ajudado a montar uma família feliz, que será sempre a nossa força e alegria que dá sentido e que faz valer (ainda mais) à pena a nossa existência por aqui.

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Os primeiros passos sozinha

O sujeito chega na porta da escolinha para pegar a filha e, no meio daquela mini confusão gerada por outros pais enrolados com bebês e crianças idem, ao pegar a mochila e a pequena, a professora vira sorrindo para você e diz:

- Ela já deu alguns passinhos hoje.

Você ri de volta, mas nem assimila a frase direito, pois a pequena já ameaça começar a chorar e você tem que acalmá-la o mais rápido possível, e então fica na dúvida - será que os passinhos foram sozinhos? Sim, porque até então todos os passinhos dela ou eram de mãos dadas com alguém ou era ela se apoiando nas paredes e móveis pela casa; entretanto, se não fosse, por quê é que a professora falaria se ela já anda? Será que não ouvi o "mais" na frase por causa da confusão?

Hoje minha esposa foi pegá-la na escolinha e a professora, desta vez, falou com todas as letras para não deixar mais dúvidas:

- Ela já deu alguns passinhos hoje SOZINHA.

Aí você abre um sorriso largo, se emociona com um "q" de tristeza porque estava trabalhando e não tinha mesmo como presenciar estes primeiros passos (que hora que ela foi escolher, né?), mas ao mesmo tempo fica extremamente feliz com o desenvolvimento e, é óbvio, com toda a expectativa do mundo para presenciar (mais) um desses momentos mágicos proporcionados pela paternidade.

O duro é que à noite ela já está cansada e só quer saber de mamar e dormir, mas amanhã ou quem sabe depois de amanhã, ela vai chegar em casa e não vai dormir, e aí ficarão os pais babões filmando e tirando uma dezena de fotos feito dois bobos comemorando mais esta vitória da nossa princesinha.

Enfim, alegria pouca é bobagem.

sábado, 2 de agosto de 2014

Dicas de alimentação saudável na fase pré-escolar

Recomendações importantes nessa faixa etária:

1. Criar um ambiente agradável, durante o horário das refeições, sem elementos que distraiam a criança, como brinquedos e televisão.

2. Variar os alimentos das refeições diariamente, de forma a promover o consumo de todos os nutrientes, vitaminas e minerais que ela precisa.

3. Respeitar os limites da criança, oferecendo alimentos na quantidade que ela esteja disposta a ingerir e que sejam ideais para suas necessidades.

4. Evitar ao máximo o consumo de refrigerantes, biscoitos (especialmente os recheados), salgadinhos, balas e outras guloseimas, contribuindo com a saúde nutricional e bucal da criança.

5. Fracionar a alimentação em 6 refeições diárias: café da manhã, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar e ceia.

Abs
Juliana Baldasso
Nutricionista especializada em nutrição do nascimento à adolescência

domingo, 20 de julho de 2014

11 meses - Está chegando a hora!

Talvez por causa da Copa do Mundo, onde a rotina de jogos mudou praticamente a vida dos amantes do futebol, este mês parece que foi o mais rápido da história e agora, ao escrever este post, me sinto meio que como o goleiro Júlio César, que ao perceber já tinha tomado 7 gols na cachola!

Se por um lado o blog acabou ficando, de certa forma, jogado para escanteio (voltando agora à vida normal), por outro lado a baixinha ficou ainda mais acelerada, imprimindo à casa um novo ritmo absolutamente frenético, pois agora que parece ela já recebeu o pacote de atualização do senso de direção, não se faz mais de rogada quando cansa de ficar em pé apoiada nos móveis ou sentada brincando no quarto ou na sala, e já sai em disparada engatinhando para outro cômodo. Fico imaginando quando conseguir ir caminhando sozinha...

Também é curioso perceber como ela já fica nos testando, quando pega ou tenta pegar algo que não queremos, ou tenta ir para onde não deixamos, e imediatamente ao ouvir o som de proibição, vira-se com aquele sorriso banguelinha arrebatador do tipo "ah, pai, deixa vai", e aí temos que nos segurar para não rir junto (o que impossível nos primeiros dias e em algumas situações específicas) e manter a voz de comando, mesmo que ela vá chorar um pouco para logo em seguida ir brincar com outra coisa qualquer como se nada tivesse acontecido.

Enfim, falta apenas 1 mês para ela completar 1 ano de vida (todos dizem que passa rápido e todos TÊM razão) e já estamos super ansiosos para a festinha de aniversário, mas o mais importante é perceber no dia a dia o quanto essa baixinha já mudou a nossa vida para melhor, preencheu com uma alegria inesgotável o nosso lar e enriqueceu com mais amor do que supuséssemos existir em nossos corações.

terça-feira, 24 de junho de 2014

10 meses - internação, primeiros dentinhos e muita arte

Pois é, amigos, num piscar de olhos já chegou a Copa, o inverno e os 10 meses da pequena!

Este mês tudo começou meio esquisito, pois ela pegou uma "virose" do tipo extra-forte, com crises de vômito e diarreia ininterruptas, que a deixou (junto conosco) por cinco dias internada - mas que, graças a Deus, no final das contas foi só o susto mais os dois bracinhos e as duas mãozinhas furadas de tanto receber soro e medicamentos.

Virada esta página, que felizmente ela nem deve se lembrar mais, chegou na sequência a crise do nascimento dos dentinhos, pois um de baixo já pulou quase 1/3 para fora e o vizinho também se empolgou, já rompendo a gengiva. E aí é aquela história que você já deve ter lido por aí: choro (desesperador) durante praticamente a noite inteira, com intervalos (muito) curtos de uma sonequinha só para tomar fôlego - e aí tem que ter (bastante) paciência para  usar todo o arsenal disponível para tentar acalmar o bebê, mas principalmente ajudá-lo massageando as gengivas e, é claro, dando todo o colo e carinho que houver nesse mundo, pois realmente deve doer bastante - e olha que só nasceram apenas dois!

Mas tirando estas semaninhas complicadas, depois foi só alegria, com direito a muito sorriso banguelinha, que é simplesmente impagável, além de muita bagunça no quarto (vide foto), revirando e espalhando todos os brinquedinhos pelo chão, e andando para lá e cá apoiando as mãozinhas em qualquer coisa que apareça pelo caminho, pois afinal de contas, não é só com a Peppa que a brincadeira não tem fim - graças a Deus!

domingo, 1 de junho de 2014

O inverno está chegando!

Como bem diz o famoso lema dos Starks em Game of Thrones, "O inverno está chegando"... ou melhor, já chegou!

Pois bem, com a chegada (bem animada, por sinal) do frio por estas terras, começa aquela fase de "cebolar" a pequena, colocando várias roupinhas até ter a certeza que ela está bem quentinha.

Durante o dia a tarefa até que é relativamente fácil, pois basta colocar as meias, bodies, calças, macacão, casaco e o gorrinho, e está tudo certo. Já durante a noite a coisa muda de figura, pois não dá para deixá-la com o gorro do macacão (como na foto) na cabeça e também não dá para cobri-la. Sim, para nós é fácil pegar os edredons, jogar na cama e ir testando até termos a certeza que não passaremos frio; já para eles, fica sempre aquela dúvida, pois como se viram bastante durante o sono, o cobertorzinho é desaconselhado porque das duas uma: ou correm o risco de se sufocarem enrolados ou então, na primeira virada, jogarem-no para escanteio.

Desta forma o jeito é ir testando as roupinhas e verificando se a pequena está suando (roupa demais) ou então está com as mãos e o rostinho gelados (pouca roupa). E, na dúvida, o que tem acontecido é tirarmos vez ou outra um casaquinho pela madrugada afora, pois nesse caso é melhor pecar pelo excesso do que correr o risco de acordarmos com a bichinha gritando desesperada e tremendo de frio.

Atenção: O gorro do casaco na cabeça da minha filha foi deixado APENAS para tirar a foto e retirado logo em seguida para ela dormir tranquila. Não deixem em hipótese alguma seus filhos dormirem dessa forma (com o gorro cobrindo a cabeça), pois estão correndo o sério risco de sufocamento.

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Leite de vaca no primeiro ano de vida? NÃO!


O leite de vaca pode provocar alergias e causar anemia nos bebês.

Quando oferecido antes dos quatro meses aumenta em 50% o risco de aparecimento de Diabetes mellitus Tipo I.

Caso haja a necessidade de oferecer leite em pó durante o primeiro ano de vida, é muito importante escolher o leite adequado e seguir a orientação do pediatra.

Prefira as fórmulas lácteas nutricionalmente balanceadas de acordo com a idade do bebê e atenção: existem no mercado vários tipos de leite de vaca em pó. Fique de olho no rótulo!

Abs
Juliana Baldasso
Nutricionista especializada em nutrição do nascimento à adolescência

terça-feira, 20 de maio de 2014

9 meses

E mais um mês passou voando, como voando ela quase está!

Fanfarronices à parte, nesse mês o que mais chamou a atenção foi a disposição dela para ignorar completamente o ato de engatinhar e praticamente usar a minha mão e os meus braços apenas como apoio para se levantar e dar os seus passinhos (ainda que meio desengonçados).

Ainda não anda sozinha, mas já fica toda serelepe indo para lá e para cá, com as perninhas em estado frenético a mil por hora, quase correndo, querendo estar em todos os cantos ao mesmo tempo agora.

Não sei não, mas ao que tudo indica, mais um mês e já deverá estar andando sozinha, e aí começará aquela operação de guerra para proteger todos os cantos e quinas "ameaçadores" e, mais do que nunca, vigilância triplicada.

Enfim, como já dizia a canção, é a vida, é bonita, é bonita e É BONITA!!!!

E vamos que vamos!

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Papinhas, frutas e alimentação saudável

Ainda sobre o Dia das Mães e os presentinhos que chegaram da escolinha, um em especial chamou bastante atenção: esta fruteira montada num disco de vinil, que veio repleta de frutas e com uma embalagem bem bacana, e aí quando você retira as frutas surge esta surpresa agradabilíssima com a fotinha da nossa princesinha abraçada com as frutinhas.

Desnecessário dizer que minha esposa está chorando até agora, até mesmo porque, além do presente ter ficado bem bonito, mostra a preocupação da escolinha com um dos maiores desafios nesta fase, que é a alimentação - principalmente a alimentação saudável.

Do nosso lado, na lancheirinha dela colocamos todo dia uma fruta e um suco de fruta natural para ele tomar, além de papinhas (que dão um belo trabalho no final de semana!) misturando vários ingredientes para compor uma alimentação rica e diversificada, como por exemplo uma com carne, mandioquinha, vagem, macarrão e cenoura, e outra com uma canjinha de galinha misturada com quinua, além de outras tantas misturas que vamos montando pesquisando na internet ou então seguindo as sugestões da nossa nutricionista Juliana Baldasso, que como vocês já devem ter percebido, ganhou um espaço aqui no blog para colocar várias dicas sobre alimentação saudável.

Enfim, como mais importante do que comer é comer bem, no dia a dia da nossa baixinha temos feito o possível e o impossível para que ela se alimente da melhor forma possível, sendo que também passarei a divulgar por aqui algumas destas experiências que temos feito e que, a julgar pela carinha dela, que até agora não reclamou ou deixou de comer nenhuma destas papinhas ou frutas que temos lhe dado, acho que estamos no caminho certo.

terça-feira, 13 de maio de 2014

O aleitamento materno é bom também para a mulher

A maior rapidez para perda de peso após o parto e o retardo na volta da menstruação são benefícios associados à amamentação pelo período de seis meses, além de também poder proteger a mãe contra o câncer de mama e de ovário. 

Amamentar é um ato de amor e cria um vínculo importante para toda a vida entre mãe e filho, favorecendo o desenvolvimento de uma criança saudável também do ponto de vista emocional.

Abs
Juliana Baldasso
Nutricionista especializada em nutrição do nascimento à adolescência

domingo, 11 de maio de 2014

O (primeiro) Dia das mães

Tão emocionante quanto comemorar em família o primeiro Dia das Mães, relembrando todos os momentos que graças a Deus nos trouxeram até aqui,  ou participando daquela farra feita na escolinha com as mães e os filhos, sem dúvida são as lembrancinhas e as surpresas artísticas que os pequenos trazem na volta para casa.

Quem não tem filho não entende qual é a graça que uma mão pintada numa folha de papel pode ter, mas para os pais (e em especial as mães) isto possui não só um valor artístico imenso, quanto principalmente um valor sentimental incomensurável.

Haja coração e feliz Dia das Mães!



quinta-feira, 8 de maio de 2014

Pico de crescimento

Sabe aquela história dos chamados picos de crescimento, que é quando os bebês parecem insaciáveis mesmo mamando praticamente de hora em hora?

Pois é. Acontece normalmente por volta das 3 semanas, 6 semanas, 3 meses, 6 meses e 9 meses, e aí é aquele desespero, pois no início haja peito (da mãe!) para produzir tanto leite no período para dar conta de tamanha fome, e depois haja mamadeira para segurar a onda!

E aí quando você começa a ficar feliz porque a sua bebezinha finalmente passou a acordar uma ou duas vezes por noite para mamar, lá chega o tal pico próximos dos 9 meses e aí é aquela aventura simpática madrugada adentro, já pela terceira noite consecutiva, com ela acordando como um reloginho às 23h, 0:30h, 2h, 3:3h e 5h, virando mamadeira atrás de mamadeira, deixando o pai e mãe com aquelas olheiras profundas e a pinta inconfundível de zumbis vagando sonolentos pela cidade afora.

Enfim, faz parte, mas o lado bom é que ela está crescendo e ficará melhor ainda quando deixar a gente dormir mais um pouquinho, né?